Olimpíadas do conhecimento começam nesta quinta (05)


Você já imaginou ter um espelho virtual que ajuda a escolher a melhor roupa para sair de casa? Já pensou na comodidade de se ter uma geladeira que sinaliza itens que faltam e ajuda a fazer deliciosas receitas? Ou ir a um centro de saúde para imprimir um gesso anatômico que pode ser molhado? Essas e outras tecnologias da Indústria 4.0 estão mais perto do que se imagina e serão apresentadas na Olimpíada do Conhecimento, que ocorre de 5 a 8 de julho no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília.

O evento, promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e pelo Serviço Social da Indústria (SESI), mostrará inovações que prometem melhorar a qualidade de vida nos centros urbanos e revolucionar a educação. Em uma área de 25 mil metros quadrados, a OC2018 deve atrair cerca de 40 mil pessoas entre representantes de empresas, do governo e estudantes. A entrada é gratuita.

De acordo com o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi, que também é diretor-superintendente do SESI, o intuito da Olimpíada é mostrar a necessidade de a indústria inovar constantemente para melhorar a qualidade de vida da população, ser mais eficiente no uso de recursos naturais e gerar melhores empregos e renda.

“No domínio das tecnologias 4.0, a educação assume papel central. Por isso, no evento, serão apresentadas ainda inovações usadas em salas de aula do SESI e SENAI para formar o profissional do futuro e prepara-lo para lidar com um mundo dinâmico de constantes e rápidas transformações", afirma Lucchesi.

A Olimpíada terá dois ambientes: a Cidade Inteligente, que demonstrará tecnologias que promovem o uso eficiente de recursos, a redução dos impactos ambientais e a melhoria da qualidade de vida das pessoas; e a Escola do Futuro, que tem o objetivo de desenvolver nos alunos competências e habilidades para lidar com a Indústria 4.0. No evento, haverá atores fazendo performance em diversos espaços para demonstrar o impacto das novas tecnologias na rotina das pessoas.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Na Cidade Inteligente, os visitantes terão contato com tecnologias avançadas em espaços como prefeitura, centro de saúde, indústrias, posto de combustível, restaurante, horta, museu e até em uma casa inteligente. As pessoas poderão conhecer desde um bueiro com sinalizadores de entupimento até faixa de pedestre que muda de cor para sinalizar aos motoristas que há pessoas atravessando a rua. Uma simulação de armazenamento de energias alternativas, como eólica e solar, estarão no espaço de Recursos Naturais, que terá ainda um telão simulador de diferentes condições climáticas e o impacto na captação de energia para alimentação de bateria em uma estação para carregar celulares.

No Eco Posto, o destaque será a tecnologia de recarga elétrica de veículos por energia solar e carro e moto elétricos. Haverá ainda um sistema interligado do posto com uma linha de produção, que produz e entrega peças de automóveis. Na prefeitura, haverá tecnologias de gestão com dados em tempo real sobre equipamentos urbanos e as conexões entre diversos sistemas em uma cidade.

No centro de saúde, equipamentos de última geração como robô que realiza cirurgias, impressora de gesso biodegradável 3D e pulseira com localizador para pacientes com Alzheimer vão demonstrar como inovações podem trazer mais precisão e conforto e menos riscos a pacientes. Os gessos, produzidos com plástico biodegradável a partir do bagaço da cana de açúcar, milho e beterraba, são anatômicos e podem ser mergulhados em água.

Outro destaque é o espaço de moda com uma planta piloto de confecção 4.0 desenvolvida pelo Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil (CETIQT) do SENAI, que produzirá na hora peças sob medida aos participantes, cujas medidas do corpo serão levantadas por um espelho virtual. No equipamento, também serão informados o tipo de peça desejado e as estampas.

Na indústria da construção, serão apresentados equipamentos de segurança e saúde no trabalho como roupas com sinalização de esforço repetitivo e uma máquina que aspira e armazena pó para prevenir doenças respiratórias. No espaço gastronômico, chamado Gourmetec, serão produzidas bolachas, salgados, panquecas e espumas em café por impressoras 3D. Em uma mesa digital, serão preparadas pizzas para degustação. A exposição Futuros Possíveis será uma demonstração de museu contemporâneo que trará reflexão sobre novas possibilidades que se descortinam com o desenvolvimento tecnológico, da indústria, do mercado, da sociedade e da cultura.

ROBÓTICA

Na Escola do Futuro, haverá um espaço para duas disputas de robótica, uma do SESI e outra do SENAI. No Desafio de Robótica na Indústria, evento demonstrativo organizado pelo SESI, 48 equipes de estudantes de 14 a 17 anos do SESI e do SENAI desenvolverão robôs para executar missões de forma autônoma em uma arena compartilhada simulando processos de oito segmentos industriais: mineração, panificação, frigorífico, construção civil, máquinas e equipamentos, celulose e papel, veículos automotores e têxtil. Os estudantes terão de lidar com situações-problema que fazem parte do cotidiano das empresas tais como gestão de estoques, controle de produção, economia de materiais e inovação tecnológica.

O SENAI realizará a seletiva para selecionar a equipe de robótica móvel que poderá representar o Brasil na WorldSkills 2019, torneio internacional de educação profissional que será realizado em agosto do próximo ano em Kazan, na Rússia. Ao todo, serão cinco duplas dos estados de Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo que terão de montar um robô para realizar tarefas que simulam a movimentação de containers em um porto de cargas. Além do projeto, as equipes serão avaliadas em relação à organização, prática profissional e segurança no trabalho.

#tecnologia #olimpiadas #DistritoFederal #inovação #educação

anuncio_la_salle_vertical_retangle.jpg
anuncio_psg_retangulo.jpg

© 2018 por Jornal Nosso Bairro

61 3226-6000

@nossobairro3.0

@nossobairro3.0

61 98406-5321

Márcio Caetano