PUBLICIDADE:

Novos hábitos de consumo podem tornar a conta de energia mais barata

Quem consome a partir de 250 kWh pode optar pela tarifa branca e obter bons descontos na conta de energia.


Desde o início de 2020, a maioria dos brasileiros tem a oportunidade de diminuir os custos de energia elétrica mediante mudança de seus hábitos de consumo.

Válida para grandes consumidores, desde o ano passado, a partir de agora a nova tarifa será estendida também para consumidores de pequeno porte.

Basicamente, aqueles que utilizarem energia elétrica fora dos horários de pico, serão enquadrados em três faixas de valores, ou seja, dias úteis, fins de semana e feriados.

Para dias úteis serão aplicados três tipos de cobrança com base nos horários de consumo: tarifa mais cara (vermelha), para quem utilizar no horário de pico; tarifa média (amarela), vigente uma hora antes e uma hora depois do horário de pico; e a mais baixa (verde) para quem consumir energia nos demais horários do dia. Já nos fins de semana e nos feriados, prevalecerá os valores praticados na tarifa verde.

A tarifa branca iniciou a ser praticada em 2018 para consumos superiores a 500 quilowatts/hora (kWh), passando a ser replicado também para consumos a partir de 250 kWh em 2019.

Se o consumidor adotar hábitos que priorizem o uso da energia fora do período de ponta, diminuindo fortemente o consumo nesse horário e no intermediário, a opção pela Tarifa Branca oferece a oportunidade de reduzir o valor pago pela energia consumida.

Contudo, a Companhia de Energia Elétrica de Brasília (CEB) explica que a Tarifa Branca não é recomendada se o consumo for maior nos períodos de ponta e intermediário e se não houver possibilidade de transferência do uso dessa energia elétrica para o período fora de ponta. “Nesses casos, a Tarifa Branca pode resultar em uma conta maior, sendo mais vantajoso para o consumidor continuar na Tarifa Convencional”, destaca a Concessionária.

A mudança, no entanto, não se aplica às unidades residenciais consumidoras da subclasse de baixa renda, atualmente tarifadas em condições mais vantajosas. Esse modelo de tarifação é aplicado em países como Canadá, Austrália, Itália, França e Reino Unido.

O horário de ponta estabelecido pela CEB foi o período das 18h às 21h. Para aderir à tarifa branca, o consumidor precisará formalizar a opção na distribuidora. A empresa instalará um novo medidor de energia capaz de registrar o consumo nas diferentes faixas horárias.

O consumidor deverá prestar atenção antes de optar pela tarifa branca. Isso porque a adesão envolve mudanças de hábito como o uso de aparelhos que consomem mais energia, principalmente o chuveiro elétrico, fora dos horários de pico. Caso o cliente não preste atenção e mantenha o consumo no horário de ponta, poderá fechar o mês com a conta mais cara.

É importante que o consumidor, antes de optar pela Tarifa Branca, conheça seu perfil de consumo e a relação entre a Tarifa Branca e a Convencional. Quanto mais o consumidor deslocar seu consumo para o período fora de ponta e quanto maior for a diferença entre essas duas tarifas, maiores serão os benefícios da Tarifa Branca.


#CEB #contadeluz #tarifabranca

PUBLICIDADE:

PUBLICIDADE:

20200603_anuncio_GDF.png
Caminito_300x300.jpg

Receba nossa newsletter

Jornal Nosso Bairro é um jornal da Editora Nosso Bairro

Siga o JNB:

  • Instagram JNB
  • Facebook JNB
  • Youtube JNB

Endereço

SCS, Quadra 7, Bloco A, 100

Edifício Torre Pátio Brasil

12º andar - Sala 1221

CEP 70307-902

Email:

Telefone: