PUBLICIDADE:

Aumenta a presença da mulher no mercado de trabalho

É o que mostra uma pesquisa realizada pela Codeplan em parceria com o Dieese que será divulga em live na internet nesta segunda-feira (7/3)



Nesta segunda-feira (7/3), às 15h, será divulgado o novo Boletim da Mulher no Mercado de Trabalho do Distrito Federal. O estudo foi realizado pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudo Sócioeconômicos (Dieese) com base nos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED-DF).


Amostra é o resultado de uma pesquisa feita em 2,5 mil domicílios no Distrito Federal e 500 residências na periferia metropolitana, que compreende 12 municípios goianos que fazem divisa com o DF.


O relatório traz um panorama atual da participação feminina no mercado de trabalho, os níveis de desemprego e as alterações na estrutura ocupacional e no padrão de rendimentos, para homens e mulheres, entre os segundos semestres de 2020 e de 2021.


As mulheres do Distrito Federal ainda convivem com desvantagens históricas em relação aos homens, principalmente, no âmbito do mercado de trabalho, expressas nas diferenças contundentes entre as taxas de desemprego e os níveis de remuneração de ambos os sexos. Esta situação, que reproduz o quadro de desigualdades existente no Brasil e na maior parte do mundo, infelizmente piorou muito durante a Pandemia COVID.


Porém, com o avanço da vacinação e retomada da normalidade econômica, do último ano, uma nova conjuntura para as diferenças entre os sexos vêm se projetando no mercado de trabalho regional. Um elemento chave para isto têm sido o retorno das mulheres a esfera produtiva no contexto pós-pandêmico. Os números mostram que, no período compreendido entre o segundo semestre de 2020 ao segundo semestre de 2021, houve um aumento da taxa de participação de 56,7% para 58,8%, respectivamente.


Isto fez a população feminina Economicamente Ativa no DF também subir de um período para o outro: de 772 mil para 803 mil. Ou seja, os dados se referem a soma do quantitativo de trabalhadoras ocupadas e desempregadas, mas que estão aptas para trabalhar.


A pesquisa também mostra que houve um crescimento de 5,9% da presença feminina no universo das pessoas ocupadas períodos do segundo semestre entre os anos de 2020 e 2021. De um ano para outro, aumentou em 36 mil o número de trabalhadoras empregadas no DF. Eram 612 mil ocupadas em 2020 e passou para 648 mil mulheres trabalhando.


O levantamento também detalha a presença feminina no mercado de trabalho por faixa etária. As mais jovens, com idade entre 16 e 24 anos e 24 e 25 a 39 anos, tem conseguido mais espaço, com taxa de de 57,3% para 61,9%, e de 79,0% para 82,9%, respectivamente.

Mas não foi somente o mercado de trabalho o foco da pesquisa. No cômputo, levou-se em consideração ao item que se refere à posição dela na família. Segundo levantamento, de um período ao outro, cresceu a taxa de participação das mulheres que desempenham a função de principais responsáveis ou chefes (55,5% para 56,6%).


Serviço


Para acompanhar a divulgação ao vivo, basta acessar nosso canal: youtube.com/CodeplanOficial

PUBLICIDADE:

anuncio_la_salle_vertical_retangle.jpg
Banner Solino.png
Gif-01.gif
quadrado_quasar.png

PUBLICIDADE:

PUBLICIDADE: